Bem vindo  

ACONTECE NA ABIFINA

Nota de falecimento (23/09/2022)

 

Comunicamos, com imenso pesar, o falecimento hoje (23/09) de Nelson Brasil de Oliveira, presidente de honra da ABIFINA, aos 93 anos. Um dos fundadores da entidade, dedicou grande parte de sua vida à estruturação do setor de química fina no Brasil, sempre com uma visão desenvolvimentista. Defendia que uma indústria nacional forte, amparada por políticas de Estado, é o caminho para o crescimento socioeconômico de longo prazo.

Disseminou essa perspectiva por onde passou, tendo publicado centenas de artigos e participado de conferências em seminários nacionais e internacionais sobre indústria, inovação, desenvolvimento tecnológico, políticas públicas e economia. Tornou-se referência para empresários e gestores públicos.

Nascido em Bagé (RS), Nelson Brasil graduou-se engenheiro químico. Foi consultor da Norquisa (1992 a 2002), diretor de Comercialização e Desenvolvimento da Carbonor (1982 a 1992) e engenheiro da Petrobras (1960 a 1982), chegando a diretor do Centro de Pesquisas Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes). Foi ainda professor (1951 a 1960) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Na ABIFINA, ocupou a vice-presidência em diferentes gestões, exercendo o papel de executivo da entidade.

Nelson Brasil era um líder nato e, com sua postura enfática, participou de momentos decisivos para a indústria. Atuou nas negociações do Acordo Geral de Tarifas e Comércio (GATT, na sigla em inglês), durante a Rodada Uruguai (iniciada em 1986), tratando dos direitos de propriedade intelectual (PI).

Depois, entre os anos 1990 e 2000, atuou na elaboração da Lei da Propriedade Industrial (nº 9.279) e nas negociações da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). Trabalhou ainda pela inconstitucionalidade da extensão do prazo de patentes. Acreditava que a proteção dos direitos de PI deveria ser moderada para não inviabilizar o desenvolvimento da indústria nacional.

Ainda nos anos 2000, incentivou a iniciativa pioneira da Fiocruz de contratar localmente a fabricação dos insumos farmacêuticos ativos para os medicamentos que produzia, como forma de resolver o problema de má qualidade dos produtos comprados por licitação internacional. Apoiou, ainda, o licenciamento compulsório do antirretroviral Efavirenz.

Esses e muitos outros temas foram liderados por Nelson Brasil, sempre com ética e transparência. Valorizava sua equipe e foi um exemplo para todos com quem conviveu. Tanto pela generosidade de dividir seus conhecimentos, como por sua coragem, firmeza, espírito de justiça e palavras de incentivo.

Nelson Brasil deixa Marta, sua esposa há 72 anos; seus filhos Eloisa, Clarice e Eduardo; e seus netos e bisnetos. Deixa também dezenas de amigos que tiveram a honra de fazer parte da grande família criada com seu amoroso coração.

Hoje nos despedimos com sentimento de tristeza. Mas também com o privilégio de termos feito parte de sua trajetória.

 

Velório e cerimônia de cremação 

Data: 24/09/2022 (sábado)

Local: Crematório Memorial do Carmo - R. Monsenhor Manuel Gomes, 287 - Caju, Rio de Janeiro 

Velório: Sala 2, início às 11h

Cerimônia de Cremação: 14h