Bem vindo  

OUTRAS NOTÍCIAS

ABIFINA participa da cerimônia que marca o início dos trabalhos da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) (11/01/2019)

Posse de Carlos Alexandre Da Costa, secretário especial da Sepec
arquivo: SEPEC - Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade

 Mais competitividade e menos proteção empresarial na pauta do novo governo

Com a reestruturação ministerial do novo governo brasileiro, novos interlocutores ocupam os espaços em que a ABIFINA busca influir. Na terça-feira, dia 8 de janeiro, tomou posse o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do novo Ministério da Economia, Carlos Alexandre Da Costa. O diretor de Relações Institucionais da ABIFINA, Odilon Costa, acompanhou o evento, que lotou o auditório do Itamaraty.

Na ocasião, também foi anunciado o novo presidente do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), Cláudio Vilar Furtado, que terá, segundo Carlos Da Costa, a tarefa de rever todo o sistema nacional de propriedade intelectual. Além dele, foi apresentada a presidente nomeada para o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), Ângela Flores Furtado, o indicado para a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Alfredo Menezes, e foi anunciada a manutenção de Guto Ferreira à frente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Odilon Costa (ABIFINA) com o secretário Carlos Alexandre Da Costa (arquivo pessoal)

 

O secretário prometeu muito diálogo e afirmou que barreiras à competitividade deverão ser destruídas e ainda que se dedicará "a uma nação que não tenha que ficar de pires na mão em Brasília pedindo proteção e subsídios". Segundo ele, subsídios, proteção e gastos públicos serão temas proibidos para o empresariado. Toda a sua equipe foi apresentada. Entre os seus objetivos, está ainda “livrar as nossas empresas das amarras e das bolas de ferro que ainda dificultam a geração de valor em nosso país”.

Economista, Carlos Da Costa ocupou o cargo de diretor de Planejamento, Crédito e Tecnologia no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de agosto de 2017 a abril de 2018 e foi sócio do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec Educacional). A poderosa secretaria está ligada ao ministério que reuniu as atribuições das pastas da Fazenda, Planejamento e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Já o novo presidente do INPI, Cláudio Furtado, é professor na área de estratégias de investimentos e finanças corporativas na Escola de Administração de Empresas de São Paulo, atua há 25 anos como consultor e é membro do conselho de administração da NORSA-Refrigerantes do Nordeste S.A., subsidiária da The Coca Cola Co. e do Grupo Jereissati Nordeste e da Atento Holding, empresa do Grupo Telefônica.

Vinculado à Fundação Getúlio Vargas, ele capitaneou diferentes projetos na área de Educação à Distância. Furtado ainda é diretor executivo do Centro de Pesquisas em Private Equity e Venture Capital da FGV.

Representantes de diferentes setores estiveram na cerimônia de posse. O secretário informou que os objetivos do novo governo são aumentar a produtividade, gerar emprego e tornar a economia mais competitiva e defendeu que sua equipe é formada por "técnicos e especialistas" que se destacaram por "disciplina e patriotismo", rechaçando eventual interferência política nas escolhas.

Odilon Costa (ABIFINA) com o secretário-adjunto Igor Calvet (arquivo pessoal)

 

Seu secretário-adunto será Igor Calvet, que foi secretário de Desenvolvimento e Competitividade Industrial do extinto Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Caio Megale, que foi secretário da Fazenda do município de São Paulo, vice-presidente da Associação Brasileira de Secretários de Finanças das Capitais (Abrasf) e economista do Itaú Unibanco, assume a Secretaria de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação.

 

Notícias relacionadas:

Carlos Da Costa apresenta equipe ao setor produtivo

 

 

Galeria de imagens